Cabeçalho

Críticas de Cinema

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O Lobo De Wall Street

Sexo e drogas regados ao sonho americano em mais um incrível  filme de Martin Scorsese.
                                                          Nota: 9,3= Excelente

Antes de tudo, quero pedir desculpas a todos que acompanhavam o blog e viram que eu abandonei o blog por um tempo (1 ano e 5 meses). A verdade é que eu não estava com tempo de escrever, regados aos estudos no colégio. 
Em 2014, o Blog volta com a crítica de um filme que foi indicado a 5 Oscars chamado O Lobo de Wall Street.
Martin Scorsese é um gênio do cinema. O jeito como ele faz seus filmes, como ele filma, é simplesmente sensacional. Ele se preocupa com todos os detalhes do filme e extrai o máximo de seus atores. Havia muito expectativa em relação a esse novo projeto de Marty. O filme contou com Leonardo DiCaprio em sua quinta parceria com o diretor e sua trama se assemelha bastante com "Os Bons Companheiros" e "Cassino", outras duas obras primas do diretor.
Comigo, não podia ser diferente. Desde a primeira imagem, o primeiro trailer, a expectativa só aumentava. Mas o filme é um pouco diferente quanto ao gênero em relação as outras obras do diretor. Se trata de uma comédia. Achei o filme  muito engraçado, desde o seu primeiro ato, com uma canção que ficou marcada na minha cabeça cantada por "Matthew McConaughey" até o seu final, em uma das sequencias mais impressionantes do cinema em que Jordan tem uma paralisia cerebral devido ao uso de drogas e vai ao seu carro se rastejando e rolando. Esplêndido! Prova do grande diretor que é Martin Scorsese.
Falando no personagem de McConaughey,  Mark Hanna, é ele quem ensina tudo a Jordan sobre Wall Street. Ele fala que duas coisas são essenciais na bolsa de valores: A cocaína para lhe manter mais acordado e a masturbação . E parece que Jordan seguiu o conselho. A quantidade de cocaína ingerida por ele e seus amigos beira o absurdo. O filme foi banido em diversos países da Ásia e aqui no Brasil recebeu a classificação indicativa de 18 anos. Jordan é uma espécie de Deus para seus milhares de funcionários. Para eles, Jordan mudou suas vidas, deu um novo modo de viver, ele é o tal chamado lobo do titulo.
                                      

No filme, acompanha-se  a trajetória meteórica de Jordan Belfort (Leonardo Di Caprio), um homem com apenas um foco em sua vida, ser muito rico. Após um início conturbado em uma empresa promissora, consegue inteligentemente absorver tudo o que precisava para se tornar um guru na arte em fazer as pessoas investirem seu dinheiro. Com a ajuda do amigo Donnie Azoff ,  funda sua própria empresa que logo se torna uma das mais rentáveis e visadas pela polícia em Wall Street.  Ao mesmo tempo,  segue ganhando cada vez mais dinheiro e encontra o amor de sua vida, o monumento Naomi e abusa diariamente de todos os tipos de droga. Esses vícios acabam o levando ao fundo do poço.

O que muitas pessoas reclamaram do filme foi a longa duração de três horas. Mas não vejo isso como um problema. As três horas de filme passam voando, pois o filme é bastante divertido e não leva muito a serio. Acho que nenhuma cena poderia ser cortada, pois todas são de fundamental importância para o filme.

Para quem acompanhou as noticias do filme, observou  que o filme teve problemas no seu corte final. O primeiro corte de Scorsese era de 4 horas, e ele  aceitou reduzir pra três . Acho que sem esse corte de 4 horas, teríamos um final mais aprofundado e melhor, pois o filme dá meio que uma caída em seu final.  Mas, temos que aplaudir de pé o trabalho da editora. Ela faz cortes tão bons que o filme parece que fica mais rápido.

Scorsese constrói uma critica a sociedade americana, mostrando o lado humano desses golpistas. O filme inclusive foi criticado por glamourizar o estilo de vida dos protagonistas. Acho que o filme faz uma autocritica  a si mesmo, mostrando que Jordan não se importava com nada, nem mesmo ser pego pela policia,  pois ele apenas queria ganhar mais e mais dinheiro e aproveitar o prazer da vida, claro que para ele com muito sexo e drogas.




Uma boa sacada do filme foi o fato de DiCaprio conversar com o telespectador, facilitando envolvimento do telespectador com o filme. A narração em off de Leo é sensacional. O roteiro de Terrence Winter é excelente. Cada detalhe que ele coloca na historia, nos diálogos é sensacional. O modo como ele mostra a decadência de Jordan sobre o seu ponto de vista merece aplausos. Os diálogos entre Donnie e Brad, numa entrega de dinheiro que (spoiler) acaba na prisão de Brad) é ao mesmo tempo angustiante e hilário.

 São tantos diálogos sensacionais, como a discussão entre jogar ou não um anão em uma conversa entre Jordan e Mark no inicio do filme, que não é a toa que foi indicado ao Oscar de melhor roteiro adaptado. Também vale ressaltar a preocupação  do roteirista em transferir para o cinema cada detalhe da vida de Jordan , escrito no livro de memorias que o próprio Jordan Belfort escreveu.

As atuações do filme são todas excelentes. Jonhah Hill está ótimo no papel de Donnie. A cena em que ele come um peixe mostra o talento do ator. E como ele é um comediante, claro que iriamos ter varias piadas do ator. Uma discussão  dele com o mordomo de Belfort, em que ele fala que não é homofóbico é hilariante. Mattwew McConaughey, mesmo tendo 10 minutos em cena, tem uma atuação sensacional, que mais uns 15 minutos em cena, seria digna de Oscar. Isso mostra o fato de Scorsese extrair o máximo de seus atores.

Kyle Chandler mostra uma boa atuação na pele do policial que investiga Jordan, Patrick Denham, se destacando sequencia do iate, em que Jordan oferece suborno a ele. O único ponto negativo é Jean Dujardin. O ator não convence como um banqueiro corrupto francês, com muitas caras e bocas. Todos os outros coadjuvantes também tem uma boa atuação. Margot Robbie, também tem uma ótima atuação como a mulher de Jordan.

 Agora, nenhuma dessas atuações supera a de Leonardo DiCaprio. O ator, que é um dos melhores da atualidade, simplesmente se destrói no filme. Suas expressões faciais, suas loucuras, o seu jeito de falar é impressionante. O modo como ele fala com seus funcionários, todas aquelas expressões merecem aplausos. A academia não tinha como não indicá-lo. Uma das melhores atuações dos últimos anos.




Todos os aspectos técnicos merecem elogios. A edição que já comentei anteriormente, a fotografia, que capta as loucuras do mundo de Jordan e dos seus amigos é excelente. Os efeitos especiais também não ficam pra trás. A sequencia do iate, em alto mar no meio de uma tempestade merece elogios.Outro ponto positivo é a trilha sonora. ao som de rock n' roll, a trilha sonora aparece nos momentos essenciais do filme, como no momento da prisão dos amigos de Jordan, ficando muito mais gostoso e divertido de se assistir. Também vale ressaltar como Wall Street é retratada muito bem no filme.

Mas como nem tudo são flores, o filme tem alguns defeitos, principalmente em seus 20 minutos finais. Ao mostrar a decadência de Jordan e seus amigos, o filme se torna chato e cansativo, terminando com um final não muito memorável na cabeça do espectador. Talvez os problemas na pós produção devem ter levado a isso. O melhor do filme é que ele não se leva a sério. Para Jordan, sua maior influencia foi Gordon Gekko ( de Wall Street - O dinheiro Nunca dorme). E justamente por se levar a sério em seus 20 minutos finais tenha prejudicado um pouco o filme.

A direção de Martin Scorsese é excelente como sempre. O modo como ele filma, como constrói as situações é incrível. Outro ponto positivo da direção é como ele faz a condução da historia. São 180 minutos que não são cansativos, apenas nos seus 20 minutos finais e passam voando. O diretor mostra cada passo da vida de Belfort: O inicio, como um simples corretor, o auge, como um golpista de ações ganhando 49 milhões por ano e a sua decadência , perdendo todo seu dinheiro e sendo preso por seus atos. O diretor apenas exagerou um pouco nas cenas de sexo e drogas. Um pouco menos de exagero ficaria melhor.



Agora, vou falar de uma das melhores sequencias que eu já vi em um filme.(Obs:se você não quiser saber o que acontece nessa cena, pule para o próximo parágrafo).  A sequencia em questão  é quando Jordan e Donnie tomam uma droga que promete deixar eles muito chapados. Mas passam 30 minutos e nenhum efeito. Então, eles tomam mais duas. Jordan vai um hotel conversar com seu advogado e tem uma paralisia cerebral devido ao uso da droga. A sequencia é hilariante. Para chegar no Carro, Jordan se rasteja e rola. Quando ele chega em casa, Donnie também teve uma paralisia devido ao uso da droga e se engasga com um presunto. São 10 minutos de muita risada. Para salvar o amigo, Jordan ingere uma alta dose de cocaína e salva o amigo. Simplesmente incrível. Isso mostra o talento de Martin Scorsese na construção de cenas. Bravo!

Enfim, O Lobo de Wall Street é mais um excelente filme do gênio chamado Martin Scorsese, que mostra bem toda a loucura do mercado de ações e de seu personagem. Se o final fosse um pouco melhor e tivesse menos exagero quanto as cenas de drogas e sexo, seria o melhor filme de 2013. Ainda não vi quase nenhum filme indicado ao Oscar, só assisti Gravidade, Capitão Phillips e ele, então não posso falar se ele merece ganhar nas categorias em que foi indicado. É isso aí pessoal, espero que tenham gostado do retorno do Blog e até a próxima.

O Lobo de Wall Street foi indicado a 5 Oscars e estreou nessa sexta no Brasil.

Trailer de O Lobo de Wall Street








4 comentários:

  1. Parabéns Mateus! Gostei muito do filme e você retratou o filme em seus melhores atos. Continue a escrever Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Mateus, você faz crítica como se deve ser, gostoso de ler! Parabéns por todos os parágrafos dedicados a esse ótimo filme. Aguardo seus comentários sobre a grande noite do cinema!

    ResponderExcluir
  3. Bela análise Mateus!
    Estou muito curioso para ver o filme, espero conseguir fazê-lo no próximo fim de semana.
    Estou muito feliz por você ter conseguido voltar com o blog e compreendo perfeitamente a necessidade que você teve de fazer o recesso, eu também me vi obrigado a reduzir o ritmo das postagens nos últimos meses.
    Compartilharei!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns! Foi perspicaz nos comentários.

    ResponderExcluir