Cabeçalho

Críticas de Cinema

segunda-feira, 2 de julho de 2012

E aí... Comeu?

Mais um filme sem pé nem cabeça do cinema brasileiro, mas que ainda em alguns momentos consegue divertir.

                     Avaliação: 5  = Mediano

Neste ano, o cinema brasileiro parece que não está muito bem na produção de seus filmes. Obras que buscavam uma grande bilheteria, como "Reis e Ratos" e "Billi Pig" acabaram sendo um fracasso de crítica e de bilheteria.

Obras muito elogiadas, como "Dois Coelhos", "Heleno" e "Xingu" não conseguiram uma boa bilheteria. E para a nossa indiganação, o criticadíssimo "As Aventuras de Agamenom" foi a maior bilheteria do cinema brasileiro em 2012.

A nova aposta , o filme "E aí... Comeu?",  parecia ter encontrado seu público, pois estreiou bem na bilheteria brasileira.  Mas, fui conferir o filme nesta quinta e o resultado não foi lá essas coisas,  mas ainda assim  o filme conseguiu me tirar algumas risadas.



No filme,  Fernando, Honório e Fonsinho são três amigos de infância que, diante da ‘nova mulher’, tentam entender o papel do homem no mundo atual. Fernando (Bruno Mazzeo) é um arquiteto talentoso que acaba de ser deixado por Vitória (Tainá Muller). Ainda tentando entender os motivos da separação, conhece Gabi (Laura Neiva), uma linda adolescente.

Para sua surpresa, ela passa longe do clichê da ninfeta ingênua. É inteligente, bem resolvida e muito madura. Honório (Marcos Palmeira), jornalista, é o machão à moda antiga. Casado com a linda e independente Leila (Dira Paes),  suspeita que está sendo traído. Fonsinho (Emilio Orciollo Netto) é um escritor conquistador de mulheres. Solteiro convicto, nunca se casou e nunca conseguiu terminar um livro. Sua maior crítica é a garota de programa Alana (Juliana Schalch), por quem ele acaba se apaixonando. Reunidos no bar Harmonia, eles tentam resolver seus problemas. 



O que funciona no roteiro do filme é o fato da história não se levar a sério demais. Isso fica claro logo no ínicio do filme. Os três personagens se reunem em uma mesa de bar, e qualquer assunto é permitido.

Os diálogos são politicamente incorretos, recheados de palavrões, mas o final do filme é bastante previsível. Os diálogos em alguns momentos são engraçados, mas o excesso de palavrões nas piadas prejudica um pouco o filme.

A direção é de Felipe Joffily, que tinha dirigido outra bobagem que faturou bastante, "Muita Calma nessa Hora" (2010). Mas esse era voltado para pessoas mais jovens, o de agora é voltado para uma audiência adulto.
Como era de se esperar, a direção é fraca. O diretor se preocupou mais em ter um filme com um orçamento barato, do que nos apresentar um bom filme com um orçamento mais caro, pois mais da metade do filme se passa em uma mesa de bar.

Bruno Mazzeo está sem carisma e acaba nos entregando uma fraca atuação no filme. O ator, que ano passado foi muito criticado por "Cilada.Com", volta em uma mediana comédia adulta. Marcos Palmeira consegue algumas boas piadas, nos entregando uma boa atuação, principalmente nas cenas em que ele pensa que está sendo traído.

Todavia, o destaque fica por conta de Emilio Orciolo Neto, como Afonsinho. O seu personagem é super engraçado, proporçionando os momentos mais engraçados do filme. Outras boas atuações são a de Seu Jorge e Dira Paes.


 A trilha sonora é boa. Com músicas muito divertidas, ela consegue preencher os momentos em que os atores se perdem no filme. Mas a fotografia do filme não está muito boa. Ela não consegue captar cenas interessantes, talvez porque o filme se passe mais da metade em um bar.

Produzido por grande parte do elenco, E aí... Comeu? parece ser muito mais um filme que apresenta um bando de atores querendo se divertir em uma mesa de bar, do que nos apresentar um filme brasileiro de qualidade.

E aí... Comeu? tem algumas cenas engraçadas, mas no geral percebe-se que ele é mais um filme sem pé nem cabeça do cinema brasileiro, sendo apenas um mediano filme de comédia. Infelizmente, mais uma vez o cinema brasileiro pisa na bola. Não recomendo!

4 comentários:

  1. Gostei do filme. Ainda bem que é melhor que Cilada.com, o filme anterior de Bruno Mazzeo, pois aquele ninguém merecia...

    ResponderExcluir
  2. Olá Mateus, na verdade eu não curto muito este tipo de comédia, acho apelativas as piadas que se sustentam com palavrões e tiradas sexistas, não tenho muito vontade de conferi-lo, verei apenas se for por obra do acaso... Parabéns pela resenha meu amigo!

    ResponderExcluir
  3. Eu acredito que o cinema brasileiro é muito pior quando tenta fazer filmes "cut" que geralmente têm um público muito distinto da realidade brasileira. Achei o filme super engraçado sem precisar de muita apelação, como nos outros filmes do Mazzeo. Obviamente ele tem erros ou "pontos fracos", mas o seu desenvolver é muito interessante, talvez previsível, mas um previsível que ainda nos deixa curiosos para ver o seu final. O Ethos do filme é fazer o público rir e se divertir com algumas situações que se aproximam muito da realidade. Acho que o filme está de parabéns e não deixa nada a desejar para os filmes de comédia americanos com orçamentos altíssimos e que quase sempre não nos leva ao clímax das boas gargalhadas.

    ResponderExcluir
  4. Olha não entendo o porque de tantas criticas ruins sobre o filme. Realmente remete um pouco ao humor masculino. Mas quantas vezes nós não paramos pra conversar com os amigos sobre esses assuntos abordados no filme? A quem dirá que mulher não faz isso, mas é mentira!Todos temos nossos momentos de intimidade com os amigos. ÓTIMO FILME, ÓTIMOS ATORES, ÓTIMAS INTERPRETAÇÕES, PÉSSIMOS CRÍTICOS!

    ResponderExcluir